Procurar
Fechar esta caixa de pesquisa.

Mensagem do Bastonário

Antônio Lopes

Caros(as) Fisioterapeutas,

Aproxima-se o final de mais um ano, época de balanços e de renovações.

Para a Ordem dos Fisioterapeutas, 2022 representa o primeiro ano do mandato, desde a tomada de posse dos órgãos sociais (14 de dezembro de 2021) e tem sido pautado por uma intensa atividade de criação de condições de funcionamento da estrutura orgânica e de serviços da Ordem.

Consolidámos o processo de inscrição, com o apoio fundamental da Comissão Técnica de Admissão, constituída por Fisioterapeutas com experiência de avaliação e desenvolvimento curricular.

Manteve-se o empenho da Ordem, enquanto autoridade competente, em concluir o registo de todos os profissionais a exercer a profissão no nosso país. É com agrado que vemos terminar o ano de 2022 com perto de dez mil inscritos.

Concretizámos a emissão e o envio de cédulas profissionais de Fisioterapeuta, em formato de cartão, e a criação de vinhetas identificativas. Ao longo deste primeiro ano de mandato, a Ordem passou também a ter responsabilidades na emissão da carteira profissional europeia.

Criámos o Gabinete de Estudos e Planeamento, uma estrutura estável, de natureza consultiva, liderada por Fisioterapeutas com perfil de investigação.

Temos ainda um Gabinete de Apoio ao Membro, que está a desenvolver condições para a criação de parcerias e benefícios, e promoveu a criação de um Fundo de Solidariedade Social, que entrará em vigor no próximo ano, para proporcionar apoio aos fisioterapeutas em situação comprovada de carência económica.

Ao longo deste ano, a Ordem empenhou-se no desenvolvimento do regulamento do exercício, que incluirá uma atualização do perfil profissional de Fisioterapeuta e, de igual forma, na elaboração do código deontológico e do regulamento disciplinar, preparados pelo Conselho Jurisdicional. Para estes instrumentos fulcrais na regulação do exercício profissional, que serão oportunamente colocados em consulta pública após a sua avaliação pelo Conselho Geral, foram fundamentais os contributos e envolvimento de muitos colegas.

No plano internacional, em que a Ordem também se assume como a voz da profissão, fomos aceites como membros da World Physiotherapy e da Região Europa, com efeitos já a partir do início de 2023.

Estamos também envolvidos no projeto “European Common Training Framework” para os Fisioterapeutas/Fisioterapia, com a presença em três grupos de trabalho desta iniciativa promovida pela Ordem francesa, com vista à criação de uma estrutura curricular europeia comum, que facilite o reconhecimento da formação e, por conseguinte, a mobilidade. Em termos de relação com autoridades competentes internacionais, destaca-se também a filiação na EurHECA – European Health Competent Authorities e o início da colaboração institucional com a associação americana de Fisioterapia, a American Physical Therapy Association. 

Por cá, no plano nacional, desenvolvemos a nossa relação institucional com outras Ordens profissionais, entidades e organizações com relevância para o desenvolvimento do trabalho da Ordem em prol da Fisioterapia e dos Fisioterapeutas, de que são exemplo as Instituições de Ensino Superior, a Associação Nacional de Jovens na Fisioterapia, a Associação Portuguesa de Fisioterapeutas e o Sindicato dos Fisioterapeutas Portugueses.

Foi um ano cheio, com todos os órgãos sociais a exercerem em pleno as suas funções estatutárias e há, claro, ainda muito por fazer.

Acreditamos, pois, que o trabalho que diariamente desenvolvemos conduzirá a nossa Ordem para patamares de modernidade e à superação de desafios.

O Conselho Geral acabou de aprovar o plano de atividades e o orçamento propostos pela Direção, este último com parecer favorável do Conselho Fiscal. 

Para 2023, assumem destaque a criação de um sistema de avaliação e acreditação da formação contínua e pós-graduada, a criação do quadro de especializações e a preparação das eleições para os órgãos regionais. Daremos início a reuniões mensais com os membros da Ordem, disponibilizando um aconselhamento personalizado, no âmbito das atividades do Gabinete de Apoio aos Membros.

Vai ser intensificado o diálogo com a nova equipa governativa da área da Saúde e demais autoridades administrativas deste setor, no sentido da consolidação da autonomia de gestão e da dignificação do exercício profissional dos fisioterapeutas.

Continuaremos também a estar presentes para os cidadãos, promovendo junto das entidades tutelares o direito ao acesso direto aos cuidados prestados pelos Fisioterapeutas.

Será dada maior visibilidade a iniciativas de combate à usurpação de funções e outras situações em desconformidade no exercício da profissão, no sentido de garantir que os utentes recebem cuidados de fisioterapia prestados por fisioterapeutas qualificados e inscritos na Ordem.

Resta-me fazer votos para que o novo ano vos traga os maiores sucessos pessoais, profissionais e saúde, para que continuem, connosco, a trabalhar na defesa dos interesses gerais dos utentes que procuram o cuidado dos Fisioterapeutas. O vosso contributo individual é decisivo.

Com estima, a todos(as) envio um abraço fraterno,

António Lopes

Bastonário da Ordem dos Fisioterapeutas 

Pedro Maciel Barbosa

Fisioterapeuta-especialista na Unidade Local de Saúde de Matosinhos Sub-coordenador para os Cuidados de Saúde Primário, Unidade Local de Saúde de Matosinhos Professor Adjunto-Convidado na Escola Superior de Saúde do Porto Membro do Conselho de Administração da Fundação para a Saúde – SNS Membro do Conselho Geral da Ordem dos Fisioterapeutas

Carlos Areia

Carlos Areia é fisioterapeuta desde 2013, e trabalhou em vários hospitais, clínicas e clubes tanto em Portugal como no Reino Unido. Iniciou a sua carreira académica na Universidade de Oxford em 2016, onde liderou um ensaio clínico a comparar Fisioterapia VS cirurgia em lesões do cruzado anterior em 32 hospitais de Inglaterra. Em 2018 mudou-se para o departamento de neurociências, onde desenvolveu os seus próprios estudos em monitorização remota de sinais vitais, que foram implementados durante a pandemia. Aqui descobriu a sua paixão pelos dados, e em 2022, juntou-se à Digital Science como Data Scientist. Concluiu o seu PhD no início deste ano, e junta mais de 60 publicações em revistas como a The Lancet, BMJ, Cochrane, entre outras. É também palestrante honorário na Oxford Brookes University e consultor em investigação clínica.

Eduardo José Brazete Carvalho Cruz

Doutorado em Fisioterapia, pela Universidade de Brighton, UK. Pós-Doutoramento na especialidade de Epidemiologia pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa.
Coordenador do Gabinete de Estudos e Planeamento da Ordem dos Fisioterapeutas. Professor Coordenador do Departamento de Fisioterapia da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal (ESS-IPS). Presidente do Conselho Técnico-Científico da ESS-IPS. Coordenador do Departamento de Fisioterapia da ESS-IPS. Investigador Integrado do Comprehensive Health Research Centre (CHRC) (parceria FCM-UNL, Escola Nacional de Saúde Publica, Universidade de Évora, Lisbon Institute of Global Mental Health e Hospital do Santo Espírito, Ilha Terceira, Açores).

Sara Souto Miranda

Sara Souto Miranda é licenciada e mestre em fisioterapia pela Universidade de Aveiro, e detentora de pós-graduação em fisioterapia respiratória do adulto certificada pela mesma instituição. Completou em 2023 o seu doutoramento duplo em Ciências da Reabilitação/Saúde, Medicina e Ciências da Vida pelas Universidades de Aveiro e Maastricht (Países Baixos) e encontra-se atualmente a exercer funções como assessora técnico-científica do Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) da Ordem dos Fisioterapeutas, e como professora convidada do Instituto Piaget de Vila Nova de Gaia. Enquanto membro do Laboratório de Investigação e Reabilitação Respiratória da Universidade de Aveiro (Lab3R), exerceu atividade de investigação aplicada onde avaliou e tratou doentes com patologia respiratória, tendo participado em 6 projetos de investigação. Ao longo do seu percurso publicou 19 artigos científicos em revistas internacionais revistas pelos pares com fator de impacto, 1 capítulo de livro, e mais de 50 resumos em atas de conferências. Foi voluntária de investigação no centro de reabilitação Ciro (Center for expertise in chronic organ failure) nos Países Baixos, e é atualmente membro da Guideline Methodology Network da European Respiratory Society. Foi distinguida pela European Lung Foundation e European Respiratory Society por desenvolver investigação centrada no doente, pela Direção Geral de Ensino Superior com uma bolsa de mérito relativa ao seu mestrado, e pelo centro Ciro com uma bolsa destinada ao apoio à investigação no estrangeiro.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador.
Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.